sábado, 25 de maio de 2013

Fica, mas livre.

Acabou, mas não porque eu não gostava de você. Acabou porque era o que você queria.
Vc precisava ficar livre pra fazer o que quisesse. E eu não te queria preso.
Eu te queria livre. Te queria aqui porque é o que vc deseja.
É isso. Acabou porque eu te queria aqui... por inteiro.

Às vezes vc deixa livre só pra ver se volta. Mesmo sendo tão difícil soltar quando se quer.
E pode ser que nunca volte.

Mas só porque tem algo melhor pra gente.

Laís Prudente de Andrade
Maio/2013

4 comentários:

  1. Sabia que eu estava sentindo falta de comentar aqui os seus textos? hahah
    É só que agora eu acho um pouco diferente comentar aqui. Estranho né? Acho que no fundo eu gostava do anonimato, de poder dizer tudo o que eu realmente pensava, sem me preocupar com o que vc iria achar de tudo o que eu tinha dito, era como se eu estivesse me mostrando de verdade, enquanto que depois de dizer quem eu era que eu realmente coloquei as minhas máscaras, apenas porque as "leis da atração" nunca funcionaram muito bem à base de sinceridade, ao menos não no começo...

    Mas sendo bem sincero, agindo assim eu já estava me sentindo era como se tivesse me perdido no meio disso tudo... Então, como eu realmente prefiro a sinceridade, dessa vez estou deixando de lado o que vc vai pensar pra simplesmente tentar voltar à minha essência.

    Quanto ao texto, nem preciso saber para quem é pra dizer que ele é um cara de muita sorte, só que pelo visto não percebeu isso a tempo. Às vezes a gente deixa livre só pra ver se volta, mas torcendo para que a pessoa perceba que, na verdade, ela é livre pra ficar (acho que isso até ilustra bem o título da postagem)...

    Acho que eu não preciso assinar aqui mais, né? hahaha
    :*

    ResponderExcluir
  2. "Acabou, mas não porque eu não gostava de você. Acabou porque era o que você queria."
    Acho que esse começo traduz todo o resto.. eu só ousaria trocar o último verbo por PRECISAVA. Muitas vezes não sabemos nem ao menos o que queremos.. mas de alguma forma PRECISAMOS mudar algumas coisas pra nos tornarmos melhores e mais felizes.. Egoísta não?!

    No entanto, penso que muitas vezes essa iniciativa não vem somente de um pensamento egoísta, mas do medo de não atingirmos e conquistarmos o melhor do seu companheiro(a). Na verdade, acho que o que nos estraga é a paixão.. Aqueles primeiros meses de intensidade e total foco em se conquistar e fazer o melhor para outra pessoa, nos serve de referência para momentos posteriores onde as coisas mudam drasticamente. Nos remetemos a comparações a todo momento, e isso machuca... e vai nos diminuindo a cada dia, mostrando que não conseguimos alcançar todas aquelas expectativas... toda aquela dedicação dos primeiros momentos.

    Acho que na verdade, o que resume tudo isso é a essência do ser humano:
    "Quando não temos alguma coisa (ou alguém), queremos desesperadamente. E quando temos, e estamos em uma zona de conforto, não dedicamos grandes forças para nos mantermos." A partir disso, a única coisa que precisamos aprender é a perder...

    Porque perder é (muito) mais difícil do que ganhar... e sempre será! x)

    ResponderExcluir