quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mania boba de acreditar...

Passado é foda, né?
Vira e mexe vem alguém dizendo que não pode alguma coisa porque no passado...

Tá, calma aê! Passado é ótimo pra nos ensinar mil e uma lições... eu realmente acredito em aprender com o passado como já disse aqui algumas vezes. Mas eu sinceramente não acredito num passado que te leva a julgar uma situação nova com pré- conceitos. Situações novas são para lições novas.
Em se falando de pessoas então...

Tá, eu sei que a gente deveria aprender que quando um cara fala que vai te ligar e não te liga é porque ele não quer nada com você... que quando um cara fala que o problema não é com vc, e sim com ele é pq ele realmente acha q o problema é com vc (apesar de eu achar mesmo que é dele o problema! olha aí o q ele ta perdendo!!)... aprender que se o cara fala que não quer se envolver agora é pq ele não quer se envolver com VOCÊ e pronto (daqui 2 semanas ele estará seriamente envolvido com alguém, acredite em mim!)

Mas a questão é que eu ando com uma mania boba de acreditar!
E eu não sei se o problema é comigo, se eu é que sou a ingênua ou louca, sei lá... mas tenho dado uma chance às pessoas. Porque aprendi que pessoas são diferentes. Que pessoas se protegem de maneiras diferentes, que pessoas amam e cuidam(de si e dos outros) de maneiras  diferentes. Então é assim... situações iguais com pessoas diferentes tem me deixado acreditar! Por mais que aquela vozinha lá no fundo diga "Ei, tá igual aquela vez que vc quebrou a cara" existe uma outra voz, mais emocional eu acho, que diz: "Dá uma chance, deixa ele te mostrar que é diferente"...

E aí eu sigo, sabe... conhecendo pessoas diferentes que às vezes agem estupidamente igual, mas que às vezes me surpreendem...
Às vezes eu até acho que a mania aqui é de gostar de levar pedradas da vida!
Mas sou como Fernando Pessoa... e estou construindo o meu castelo!

;)


Laís Prudente de Andrade
Novembro/2011

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Terrível

"Eu tive um dia terrível." Nós dizemos isso o tempo todo. Uma briga com o chefe, náuseas, engarrafamento. É isso que descrevemos como terrível, quando nada de terrível está acontecendo.

E essas são as coisas pelas quais imploramos: um canal dentário, uma auditoria federal, café espirrado nas roupas. Quando as coisas terríveis de verdade acontecem, nó começamos a implorar a um Deus que não acreditamos para resgatar os pequenos horrores. E levar isso embora.

Parece fácil agora, né? A cozinha inundada, a madeira podre, a briga que te deixa com raiva. Ajudaria se soubéssemos o que estava por vir? Saberíamos que aqueles eram os melhores momentos da nossa vida?

Do 9º episódio da 8ª temporada de "Grey's Anatomy"


E que a gente deixe de achar as coisas terríveis quando não o são.
=(