domingo, 25 de dezembro de 2011

1, 2...

Ser uma eu sei. Fácil não é... Exigiu anos de treino e muitas capotadas. Mas aprendi. Pra ser feliz sozinha tem que saber se amar, rir de si mesma e das situaçōes mais dificeis que a gente acaba se metendo na vida. Tem que saber acabar o dia e dividir cada momento que se passou com nosso proprio ego e ficar satisfeito mesmo assim. Tem que saber rir e chorar sozinho. E achar a tal solução que a gente sempre procura. Tem que saber buscar ajuda nas horas certas... De amigos e familiares... Sem se tornar a tristinha da familia ou a solteira do grupo. Tem que aprender um tanto bom de coisas que so o tempo ensina. O tempo sozinha. Mas ser dois eu nao sei. Nao aprendi. Nao me ensinaram ainda. Pra ser feliz sozinha eu precisei dos outros nao estarem presentes. E precisei principalmente de mim. Mas pra ser dois não adianta. E preciso mais um. E preciso de alguem que retribua seu carinho. Alguem pra dividir o dia, alguem pra se lembrar em cada detalhe bobo e pra te ajudar a achar a solucao naquela hora complicada... Ou apenas dividir a agonia com vc... E pra ser dois a coisa tem que ir e vir. Eu posso garantir o meu carinho, mas preciso de mais um pra garantir o retorno. Pra ser dois ainda tenho que aprender um tanto bom de coisas que so o tempo ensina. O tempo juntos. No fim, 1 eh facil. 2 eh que complica. Pra ser 1 sou autodidata. Pra ser 2 eu preciso do professor.

Laís Prudente de Andrade
Dezembro/2011

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mania boba de acreditar...

Passado é foda, né?
Vira e mexe vem alguém dizendo que não pode alguma coisa porque no passado...

Tá, calma aê! Passado é ótimo pra nos ensinar mil e uma lições... eu realmente acredito em aprender com o passado como já disse aqui algumas vezes. Mas eu sinceramente não acredito num passado que te leva a julgar uma situação nova com pré- conceitos. Situações novas são para lições novas.
Em se falando de pessoas então...

Tá, eu sei que a gente deveria aprender que quando um cara fala que vai te ligar e não te liga é porque ele não quer nada com você... que quando um cara fala que o problema não é com vc, e sim com ele é pq ele realmente acha q o problema é com vc (apesar de eu achar mesmo que é dele o problema! olha aí o q ele ta perdendo!!)... aprender que se o cara fala que não quer se envolver agora é pq ele não quer se envolver com VOCÊ e pronto (daqui 2 semanas ele estará seriamente envolvido com alguém, acredite em mim!)

Mas a questão é que eu ando com uma mania boba de acreditar!
E eu não sei se o problema é comigo, se eu é que sou a ingênua ou louca, sei lá... mas tenho dado uma chance às pessoas. Porque aprendi que pessoas são diferentes. Que pessoas se protegem de maneiras diferentes, que pessoas amam e cuidam(de si e dos outros) de maneiras  diferentes. Então é assim... situações iguais com pessoas diferentes tem me deixado acreditar! Por mais que aquela vozinha lá no fundo diga "Ei, tá igual aquela vez que vc quebrou a cara" existe uma outra voz, mais emocional eu acho, que diz: "Dá uma chance, deixa ele te mostrar que é diferente"...

E aí eu sigo, sabe... conhecendo pessoas diferentes que às vezes agem estupidamente igual, mas que às vezes me surpreendem...
Às vezes eu até acho que a mania aqui é de gostar de levar pedradas da vida!
Mas sou como Fernando Pessoa... e estou construindo o meu castelo!

;)


Laís Prudente de Andrade
Novembro/2011

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Terrível

"Eu tive um dia terrível." Nós dizemos isso o tempo todo. Uma briga com o chefe, náuseas, engarrafamento. É isso que descrevemos como terrível, quando nada de terrível está acontecendo.

E essas são as coisas pelas quais imploramos: um canal dentário, uma auditoria federal, café espirrado nas roupas. Quando as coisas terríveis de verdade acontecem, nó começamos a implorar a um Deus que não acreditamos para resgatar os pequenos horrores. E levar isso embora.

Parece fácil agora, né? A cozinha inundada, a madeira podre, a briga que te deixa com raiva. Ajudaria se soubéssemos o que estava por vir? Saberíamos que aqueles eram os melhores momentos da nossa vida?

Do 9º episódio da 8ª temporada de "Grey's Anatomy"


E que a gente deixe de achar as coisas terríveis quando não o são.
=(

domingo, 30 de outubro de 2011

Pra lembrar...

2 atitudes para a vida:
- agir como se fossemos morrer amanha,
- cuidar de nós mesmos como se fossemos viver pra sempre.
No 1º caso a gente para de deixar as desculpas, a declaração de amor, os carinhos, abraços e sorrisos pra amanhã. A gente entende que as pessoas que amamos merecem saber disso e que a gente tem q fazer o máximo pra aproveitar cada segundo ao lado das pessoas especiais que nos cercam. A gente cuida dos outros...
No 2º caso a gente cuida da gente! E entende que apesar de ter que aproveitar muito o presente, também temos que cuidar do futuro. É nessa parte que a gente estuda, trabalha, paga as contas, faz alimentações saudáveis e usa filtro solar ... é nessa parte que a gente faz as coisas necessárias, mas que a gente nem se preocuparia em fazer se o mundo fosse acabar amanhã...

Às vezes as 24horas do dia não são suficientes para tomar essas atitudes "básicas" e a gente vai deixando tudo pra amanhã, então esse post é pra te lembrar pelo menos hoje:

AJA COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ. SE CUIDE COMO SE FOSSE VIVER PRA SEMPRE.


E tente se lembrar todos os dias...

Laís Prudente de Andrade
Outubro/2011

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sentir-se amado

         de Martha Medeiros

"O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama.

Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado.

Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se.

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também?

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho".

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato."

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo."


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Me poupe de adivinhações!

Não gosto de ter que adivinhar...
 que você gostou de mim
 que quer ficar comigo de novo
 que quer ficar comigo pra sempre
Gosto menos ainda de adivinhar
 que você não gostou
 que está inventando desculpas pra não nos vermos mais
 que pra você foi bom, mas só aquilo e ponto final
É por isso que não vou nem tentar.
Não vou adivinhar que você ainda gosta da sua ex, que você só quer pegação e baladas, que você não gostou do meu cabelo ou do jeito que eu me visto. Nem tampouco vou adivinhar que você adorou o meu jeito e que quer me ver de novo, que gostou do meu sotaque mineiro bobo, que meu sorriso te deixa mais feliz.
Não vou, é isso.
Quero ouvir... dos seus olhos, do seu corpo e até da sua boca! Sei lá, dá um jeito, mas eu quero ouvir!
Porque não nasci pra adivinhar nada. Minha bola de cristal nasceu com defeitos.
Se tento, ainda adivinho errado.
Aí, se não eu, você ganha um machucado. E gosto tanto de machucar quanto de adivinhar.
E de ser machucada então...



Dessa forma,

Laís Prudente de Andrade
Setembro/2011

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Lá estão elas...


“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho e que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?
A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?
E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”



Tenho escrito pouco... mas é que os outros também falam por mim!



quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Meu jardim


Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores
Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores

Refazendo minhas forças, minha fonte, meus favores

Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores

Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho

Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho

Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho

Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho

Estou podando meu jardim

Estou cuidando bem de mim

(Vander Lee)


E sorrindo sempre...
=D




Sabe, borboletas às vezes fazem cócegas...



domingo, 7 de agosto de 2011

Passa... sempre passa...


O tempo é um cara bom.
Te paga mil cervejas.
Te leva a mil baladas.
Te mostra que a vida é bem parecida com o paraíso.
Te faz esquecer todos os insultos que a tal da vida te oferece.
Te faz esquecer as amizades falsas, os amores impossíveis e os projetos indestrutíveis.
Te faz achar que as bobagens foram aprendizados.
E que os aprendizados foram fáceis.

Mas às vezes o tempo resolve ser "do contra".
E quando vc acha que deveria esquecer, ele te leva a lembrar.
E quando vc acha que ele deveria lembrar, ele só o faz esquecer.
É o tal do tempo que esfria o que não devia.
Que leva a dar desculpas daquele tipo "você é demais pra mim" que só significam "eu mudei o que eu quero e não é mais essa 'você' ".
O tempo que te traz lembranças não tão boas.
Que te faz questionar as ações atuais de uma interrogação antiga.

Mas esse é o tempo.
Aquele que sempre passa...
Bom ou ruim...
É só o tempo...
só ele pra consertar, só ele pra destruir...

Laís Prudente de Andrade
Agosto/2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O que a gente merece... o que a gente precisa!

É só pra gente não se esquecer em nenhum instante que as pessoas merecem que as vejamos por suas atitudes, só por elas.
Então vamos começar a ver as pessoas como elas nos tratam. Pessoas nem tão bonitas vão ficar maravilhosas... e, infelizmente o contrário também é verdadeiro!!

Ah, e tão importante quanto: trate as pessoas como você quer que elas te olhem! ;)
Isso sim é beleza interior!

Laís Prudente de Andrade
Agosto/2011



sábado, 30 de julho de 2011

Sorrindo lírios

Só porque esse texto me encanta!

Ter ou não ter namorado
Carlos Drummond de Andrade

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo.
Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro.
Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia.
Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil.
Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado.
Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.
Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.
Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário.
Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.
Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado.
Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar.
Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.
Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele.
Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz.
Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado é porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos.
Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.

Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido.


domingo, 24 de julho de 2011

Intensidade

Aparece do nada. E quando eu menos percebo estou me importando demais.

Mas, da mesma forma, desaparece do nada. E eu percebo que não faz a mínima diferença.


Bom, neh!?


Laís Prudente de Andrade
Julho/2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Diálogo qualquer, num lugar qualquer

- Hoje não.
- Pq?
- Cansei de correr riscos que não sei se posso suportar.
- Eu sou um risco?
- Cada vez que eu digo que vou embora quando tenho vontade de ficar é um risco.
- Pois é... fica.
- O risco é ainda maior.
- Mas afinal o que vc ta arriscando?
- Todo dia com você eu corro o risco de me iludir...de gostar de você. E pior ainda, o risco de ficar e ouvir que isso não deveria ter acontecido.
- Mas ta acontecendo.
- Mas você tem a mania de mas... E a qualquer momento eu ouço que "foi bom, mas", que "gosta de mim, mas", que você "queria, mas", que você "não queria, mas"...
E foi embora, com o "mas" na cabeça, as lágrimas nos olhos e a certeza de que queria novos riscos, não esse.

Mal sabia que de riscos assim não se foge...


quinta-feira, 14 de julho de 2011

Minha fantasia (sua).

Fantasias. É isso o que todos nós somos. Fantasias dos outros.
Somos diferentes pra cada pessoa, pra cada pensamento, pra cada olhar. Porque nós somos seres fantasiosos.
Você pode ser a pessoa especial daquele dia de inverno, pode ser o rolo de "uma vida" que nunca se resolveu, pode ser a pessoa que parecia perfeita pra se relacionar, pode ser o encontro de uma balada, pode ser um nome, ou nem isso, pode ser a inspiração pra uma música, a inspiração pra um sonho.
Você pode ser e você é. Tudo isso e muito mais. Um pouco pra cada pessoa em quem você tocou, com quem você conversou, por quem você passou.
Vivemos fantasiando sobre as pessoas, sobre os momentos e sobre sentimentos. Transformamos a realidade e criamos tudo isso de uma forma nova dentro de nós. E às vezes você percebe a fantasia pela qual se apaixonou. Às vezes não.

Fantasias fazem bem. Mas não se engane, são só fantasias.
Cuidado para não ser devastado ao descobrir.

Laís Prudente de Andrade
Julho/2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Depois.


Química. Física. Geografia.
..

E depois...
Vamos conversar por horas e horas. Falar do que eu já fiz, do que eu já li, do que eu já vi... falar do que eu ainda vou fazer. E melhor ainda, vou ouvir e conhecê-lo, cada detalhe, cada pedacinho da sua personalidade, tudo o que ele é e tudo o que pretende ser, tudo pelo que já passou, tudo que já aprendeu.
E é claro. Vamos ter silêncio. Mas só o silêncio das palavras porque todo o resto vai manter a comunicação.
Ainda seremos 2. Cada um com cada seu. Mas às vezes seremos 1... muitas vezes... e será... [indescritível].
Vamos assistir futebol juntos. E mesmo se ele não torcer pelo meu time vai adorar meu sorriso de vitória. Pode até me zuar nas derrotas, mas vai ser suportável hahaha. Vai amar e odiar meus comentários durante o jogo e o mesmo acontecerá comigo. Discutiremos. Mas saberemos que é futebol... não futebol, mas futebol...
Vamos ver filmes juntos. Não só os melosos, mas também os de ação, os intrigantes, os de suspense... e às vezes perceberemos que não vimos nem metade do filme, ou nada... e que era só mais uma de nossas desculpas pra ficarmos juntos.
Vamos jogar play station. E eu vou ganhar dele \o/. Ou não hahaha.
Vamos inventar comidas juntos... ou melhor, ele vai cozinhar pra mim. Só pra me ver sorrir depois da primeira colherada, só pra ouvir que ele é prendado e que me faz bem. E se ele não souber cozinhar aprenderemos juntos! (ou compraremos algo bom)
Vamos beber juntos, ficar bêbados juntos. Rir um do outro. Rir dos outros. Vamos sair juntos... baladas ou bares. E será tão divertido quanto quando eramos solteiros; diferente, mas divertido. E gostaremos disso.
Ele aproveitará que eu sou eclética e me apresentará tudo sobre o gosto musical dele. E curtiremos juntos.
Não vamos nos falar muito ao telefone porque eu não gosto de telefone(pelo menos não de conversas longas). Mas quando não conseguirmos nos encontrar ele vai dar um jeitinho de me contar seu dia e de me perguntar sobre o meu... de me desejar bom dia, boa tarde, boa noite... porque eu vou ser a linda dele e eu mereço muita atenção haha.
Isso, ele vai se interessar por mim. Por tudo meu. Vai saber meus gostos e eu vou saber os dele. Vai descobrir todos (melhor não... quase todos) os meus pontos fracos. E vai me conhecer.
Vamos trocar mensagens, bilhetes e tudo mais só pra mostramos um ao outro que estamos ali...
Ele vai me surpreender e eu vou surpreendê-lo.
Vamos brigar. Por ciúmes ou por qualquer idiotice. Mas a hora de fazer as pazes vai ser ótimo e vai ser o único momento da briga do qual nos lembraremos.
Ele vai cuidar de mim quando for preciso e vai saber a exata hora de me deixar "em paz".
Vai ser alguém de quem eu terei orgulho. E que me fará ser alguém melhor.
Não vai ter assuntos mal acabados com ninguém. E por isso vai se dedicar a me conquistar. Vai me tratar como uma princesa. Vai fazer eu largar todos os meus escudos, que vez ou outra já cairam, mas que ainda seguro com força. Vai chegar de repente, mas eu não vou perceber. Vai me mostrar pouco a pouco como é bom ficar com ele. Vou odiar certas coisas que ele faz, mas de repente vou sentir falta disso.
De repente vou me ver feliz ao lado de alguém também feliz. E até faremos planos... juntos.


E a química, física, geografia... ainda estarão lá. Mais fortes do que nunca.




E terá muito mais coisas... muito mais do que eu posso imaginar. 

Laís Prudente de Andrade
Junho/2011

terça-feira, 14 de junho de 2011

Vivendo e aprendendo

Se algo não deu certo hoje, tento de novo amanhã. Ou tento o novo.
Porque apesar que bom mesmo é ganhar, o importante é participar hahaha...


O que eu quero da vida é viver!

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Ame-se!

Eu tava pensando hj q quem não se ama deveria ser proibido d amar(ou achar q ama) alguém.

Acredite em mim, vc definitivamente não precisa esquecer sua própria personalidade por alguém. Vc não precisa concordar com uma pessoa pra q ela goste de vc. Aliás, provavelmente se vc discordar e defender sua opinião, vai ser mais respeitada. Não é pra vc ser uma pessoa cabeça dura pra provar q tem personalidade, vc só precisa gostar d si mesmo, saber quem vc é, saber pq vc pensa de uma certa maneira. Vc não vai estar sempre certa, mas vc pode discutir uma situação, expor seus pontos e aprender a ganhar e perder.
É isso, vc pode discutir, vc pode se opor ao q o outro pensa e faz...e vc pode(e deve) expor sua visão e ensinar o outro o q vc já aprendeu. Ninguém que gosta de verdade vai largar alguém só pq foi contrario a alguma atitude dele. Na verdade acho q as pessoas normais vão até gostar de aprender um pouco...
Ah, e é claro q discordar ajuda vc a conhecer melhor quem está ao seu lado e descobrir q ela é a pessoa com quem vc quer estar... ou com quem vc NÃO quer estar.

Como eu já disse antes:
AME-SE
e só depois ame alguém.




Ah, me lembrei de um certo "Se cuida" que ouço as vezes... Pode deixar que eu procuro cuidar muito bem das pessoas q eu amo... da q eu mais amo (eu) então... nuh! kkkk

domingo, 29 de maio de 2011

Distância

Eu não gosto de distância.
Não que alguém goste. Distância dá saudade e saudade só é boa quando acaba.
Mas a questão é que eu prezo muito a presença, o toque das mãos, os abraços, beijos ... só saber que a pessoa tá ali por perto é diferente.
Com amizade tudo bem, manter contato hoje em dia não é uma coisa realmente complicada. Mas um relacionamento amoroso pra mim precisa de contato de verdade.
Eu não digo nunca pq vejo pessoas pagando lingua diariamente, mas dificilmente conseguiria manter um relacionamento à distância. Acho lindo quem consegue... às vezes possuam entre si um sentimento que eu ainda desconheço... Ou não... mas isso é conversa pra outro dia.
A questão é que eu preciso da química, física e biologia... história não me preenche sozinha! Eu já conheci pessoas com quem me dei extremamente bem falando, mas calado, putz, faltou aquele Q, entende? kkkkk Assim como tem aquelas pessoas q vc só quer calado, neh!? kkkkk
Pois é, eu quero e sei que você quer também, o pacote completo. Todas as matérias aqui reunidas num lugar só hahahah. E pra mim isso só acontece com presença.

E é isso. Hoje o post é um pedido. Um pedido de mais presença na minha vida!
Chega de matérias separadas.

domingo, 22 de maio de 2011

PQP

"Há um motivo pra eu dizer que seria mais feliz sozinha. Não foi porque eu pensei que seria mais feliz sozinha. Foi porque eu pensei que se eu amasse alguém e depois acabasse, talvez eu não conseguisse sobreviver. É mais fácil ficar sozinho. Porque... e se você descobrir que precisa de amor? E depois você não o tem. E se você gostar? E depender dele? E se você modelar sua vida em torno dele? E então... ele acaba. Você consegue sobreviver a essa dor? Perder um amor é como perder um órgão. É como morrer. A única diferença é... a morte termina. E isso... isso pode continuar pra sempre."
Meredith Grey, no final do 22º episódio da 7ª temporada.

sábado, 21 de maio de 2011

Momento astrológico

Como Laís ama?

Vênus em Sagitário é a marca afetiva de Laís, que se revela uma pessoa brincalhona, inteligente, divertida, que tirará você de toda e qualquer rotina, tornando sua vida colorida de uma forma que ela talvez nunca tenha sido. Inconstante? É verdade. Mas se você souber ser uma pessoa cheia de surpresas, adepta a sair da rotina, é altamente provável que Laís se interesse apenas por você.

Vantagem: você está ao lado de alguém que sabe viver a vida com toda a intensidade possível, que não tem medo de viver aventuras e que se joga no que quer!

Desvantagem: tanta expansividade afetiva pode dar lugar a um séqüito se seguidores que irrita qualquer pessoa minimamente ciumenta!

Como lidar: deixe Laís à vontade para tomar a iniciativa. Quem tem Vênus em Sagitário gosta de sentir que é "a pessoa que caça", e não a presa.

Possíveis presentes ideais: uma passagem aérea para um lugar bem distante e exótico, um semestre num curso de um idioma qualquer (não importa qual), livros de grandes autores, uma enciclopédia, roupa esportiva, telescópio.

O pior que você poderia fazer: cobrar coisas, fazer exigências repetidas. Com Laís, as coisas funcionam assim: quanto mais você solta, mais Laís vem. Tentativas de prisão geram apenas fuga.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Inspiração do dia.

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.

É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.

A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.

Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir e o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.

De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva, em sua coluna do dia 31 de março de 2005 do jornal O Globo)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sonhando com um par de asas

Sem papas na língua eu me vi destruindo toda minha racionalidade. Tudo que eu tinha feito pra me apresentar como uma pessoa compreensiva, evoluída e livre de desatinos emocionais foi por água abaixo. Pq emoção é assim... transborda e não dá pra esconder.
Eu quero bater o pé e convencer que nada disso deveria acontecer. Mas o tempo não volta e as coisas nunca voltam ao que eram. Torcer pra serem melhores é o que a gente pode fazer. Ou será que dá pra fazer melhor de qualquer maneira, fazer melhor à força? Não, não dá. Viver em sociedade dá nisso. Você depende dos outros, não adianta. Você pode ser feliz consigo mesmo, mas você precisa de um ambiente pra aproveitar isso. E do mesmo modo, se você está sofrendo o ambiente tem a capacidade de te fazer ver o contrário. E é claro que aqui o ambiente são pessoas. Pois é, essas são as únicas capazes de mostrar que você merece algo melhor, que você está rodeado de pessoas que te querem bem mesmo que exista sempre alguém pra te ferir. São pessoas que de repente aparecem na sua vida e te fazem perceber que você é sim, maravilhosa e que não importa o quão você é maltratada, você tem muito a oferecer.
Não dá pra fingir que um "Não" não é nada... dói, machuca e não importa o quanto vc disfarça ele te fere por dentro. E um "não" são mais atitudes que palavras. Só que como tudo na vida, passa! O "não" torna-se aquele degrau que você precisa pra chegar lá naquele lugarzinho melhor pra você.
No fim das contas felicidade aqui é igual mato! Só cresce hahaha e nem adianta podar não!!! Alguém te deixa triste hoje, alguém te faz mais feliz amanhã. Mesmo que seja a mesma pessoa!


Esses dias me disseram que as pessoas nasceram com uma só asa... e eu continuo acreditando que aquela asa única de cada um precisa de um parzinho pra nos fazer voar... mesmo que não seja tão alto ou que as asas não combinem tanto. Mesmo que a gente precise de muitos vôos pra escolher nosso destino...

E eu continuo aqui de olho nos próximos vôos... mesmo ainda querendo aquele "sim".

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Sorriso.

Balada.
Um homem me elogia.
Eu agradeço, sorrio.
Ele quer me conhecer, mas... "não, eu já tenho alguém".
Ele olha no fundo dos meus olhos e diz:
"Você é muito linda. Espero que a pessoa com quem você está te diga isto todo dia e dê o devido valor a esse sorriso maravilhoso que você tem."
O ego infla, eu agradeço com um sorriso maior ainda e continuo dançando e me divertindo com as amigas.
Mas ficou na minha cabeça e no fim das contas eu acabei me desiludindo de quem eu estava na ocasião... talvez nem tenha sido por isso... mas...
Taí um conselho de um desconhecido que nem mesmo do rosto me lembro, mas que eu realmente não esquecerei.
E hoje este é meu conselho pra vc tb ;)

domingo, 27 de março de 2011

Pensando...

E de repente você percebe que se importa mais do que gostaria.
E não sabe o que fazer com isso.


"Um homem que é mestre de si mesmo pode acabar com uma dor inventando um prazer.
Não quero estar à mercê de minhas emoções. Quero usá-las, apreciá-las e dominá-las"
(Oscar Wilde)

sábado, 12 de março de 2011

Tudo é fase

Já parou pra pensar em algo q te satisfazia no passado e d repente achou q era tudo bobagem? Do tipo... iiih, q boba eu era, q graça tinha isso, pra q q eu fazia aquilo?
Mas no fundo vc sabe q era mt bom, q vc achava graça, q vc se sentia feliz com certas coisas q hoje nao t chamam a menor atençaao!
Pois é... vc muda e o q t satisfaz muda. E d repente vc se ve querendo algo q nunca quis, desejando uma situação q nunca t atraiu mt.
Vc esta crescendo, o passado é recordação boa, o presente t alegra e o futuro? Ah, esse t surpreenderá... afinal vc se verá fazendo o q nem esperaria hj! Q emocionante, hein? kkkkk

Aproveite sua fase. Aproveite o q t satisfaz hj.
Amanhã é uma incógnita... e por mais diferente d hoje q seja, eu espero q tb t faça feliz!
;)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Amor em 2 semanas. Já viu?

Eu nao! Paixao já, amor não!
Amor é construçao, é dia-a-dia, é inovar qndo não há mais saída, é aguentar "coisas d+", é querer estar junto apesar d achar o outro meio chatinho hj... e é não querer estar junto só hj pq o outro está meio chatinho! Amar é achar outras pessoas bonitas, mas achar quem está com vc mais ainda(ou achar bonito mais q o "suficiente" hahaha). Amar não é declarar somente, é sentir.
E apesar d amar ser muito mais q tudo isso, as pessoas continuam insistindo em amar em 2 semanas. E o q eu digo é: 2 semanas pode ser bem intenso, mas 2 semanas nao passam d paixao! Em 2 semanas nao se conhece uma pessoa, aliás, não se conhece uma pessoa por uma vida toda... mas em 2 semanas não se apaixona por defeitos, apaixona-se por qualidades. E apaixonar-se por qualidades não garante o amor, o q garante msmo é encantar-se pelos defeitos! Pensando bem, nem isso garante! O amor é eterno enquanto dura e etc e tal... pelo menos aquele amor homem-mulher (ou variaçoes neh)... ele acaba pq não é tao facil assim permanecer encantado pelos defeitos q ja existiam e, pior ainda, encantar-se pelos novos que aparecem pelo caminho! Pq vc acha q o amor dos pais é eterno?? Pq eles nos amam com nossos defeitos, encantando-se por eles ou só aceitando... ou nos ajudando a mudá-los!
E amar inclui mudar, sim!!! Mudar pq VC quer ser melhor, pq VC não quer q ngm se encante por determinado defeito, por VC... Afinal, a unica pessoa q merece q vc mude por ela, é vc msmo! E quem te amar msmo, vai gostar da mudança! Ou nao, neh! Mas aí o amor vai acabar pq vc se viu evoluindo e o outro não viu a mesma coisa...
Tá bom, vc aí q gosta das 2 semanas! Apaixone-se muitas vezes e finja q é amor, mas nao se esqueça d dar o devido valor ao amor de verdade... aquele q passa das 2 semanas... aquele q só vai surgir se vc der uma chance alem... se vc parar d só falar e começar a sentir!

Ao som de Eduardo e Monica - Legiao Urbana
"Quem um dia irá dizer q existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer q não existe razão?"

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Saudades que eu sinto... lembranças q eu tenho...

Me aproprio agora das palavras d um autor desconhecido:

"Saudade e lembrança...
...Podem parecer sinônimos....
Idéia igual, mas diferente no sentir.

Lembrança é da memória, saudade é da alma.

Muitas lembranças, poucas saudades.


Lembranças surgem com um cheiro,

uma música, uma palavra.


Saudade surge sozinha
,

emerge do fundo do peito onde é guardada com carinho.


Lembrança pode ser boa, mas quando não é,

pode-se afastá-la convocando outra lembrança ou convocando outro

pensamento para o lugar, ligando a TV ou lendo o jornal.


Saudade é sempre boa, mesmo quando dói,

e não se apaga mesmo que outra pessoa tente ocupar o lugar vazio.

Ela pode coexistir com um novo amor, sem machucá-lo.


Lembrança é de algo real, de um lugar, uma época, uma pessoa.

Saudade pode ser do que não houve, de uma possibilidade,

de lábios jamais tocados.


Lembrança pode ser contada, medida, localizada, e com algum esforço,

pode até ser calculada com uma fórmula matemática,

ao gosto dos engenheiros.


Saudade é dos poetas, é pautada em rimas e melodias;

vontade de ver outra pessoa, segundo os poetas,

teria outro nome, seria uma saudade com tempero, eu acho.


Lembrança pode ser sem som, pode não doer.
Saudade jamais é sem som.

Se ela não vier com música de fundo, a gente coloca,

só para ficar mais bonita, mais gostosa de sentir,

para preencher mais a alma vazia.


Lembrança vence a morte,

mas conforma-se com a ausência, respeita convenções.

Saudade ignora a morte, vence distâncias, barreiras e preconceitos.


Lembrança aceita nosso comando, vai e volta quando queremos.

Saudade é irreverente, independente e auto suficiente."

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Sobre escrever e ler.

Às vezes me pego relendo meu blog... como disse no primeiro post ele é um presente pra mim... pro meu auto-conhecimento, pra minha auto-estima, pro meu crescimento.
Cada comentário é importante, me sinto muito bem... é a tal validação sobre a qual já falei aqui né? Mas cada vez q alguém lê e não comenta tb é importante. Pq eu sei o qnto palavras tocam. Vc pode ler alguma coisa e nem ligar, mas aquilo tá la na sua mente, em algum lugar... ou nao neh? Vc pode esquecer tb hahaha às vezes é o melhor q vc faz!
Mas vc tb pode ler e refletir... concordar, discordar, entender o q o outro sente... imaginar. Putz... e como eu gosto da tal imaginação! Acho q é por isso q leio tanto... e eu sei q sou um pouco d cada livro q eu li... d cada blog q eu visito... sou um pouco d cada uma dessas pessoas q liberam a imaginação, os sentimentos... q nos deixam entrar no mundo delas!

Escrevendo aqui me lembro do exemplo da Elenita Rodrigues, a Lena do Big Brother! É, eu não gostava dela nas ediçoes q eu assistia do programa... aliás, gostar não é a palavra... digamos q eu não convivia bem com ela e com todo o seu temperamento... mas hj conheço ela por outro meio! Conheço por suas proprias palavras, em seu blog q eu super recomendo! Hj ela é uma pessoa q eu admiro, q eu provavelmente nunca vou conhecer d outra maneira... mas ja considero seus textos intimos o bastante. Na verdade já identifico sentimentos meus com sentimentos dela, me inspiro em seus fragmentos, me vejo torcendo pra q ela se dê muito bem... mas q nao pare d escrever pra eu poder acompanha-la, pra eu poder amadurecer junto com ela haahaha!

No fim das contas acho q esse post é pra quem eu sei q me acompanha... e pra quem eu não sei!! Um beijo especial a vcs e obrigada pela companhia!
E obrigada aos escritores por aí, claro!!!